sábado, 31 de outubro de 2009

Educacao Financeira



A Cybele Meyer passou por aqui e nos deixou o convite, espero que muitas pessoas participem, assim a conversa fica rica e enriquecedora para todos, porque eu particularmente nao sei muita coisa sobre educacao financeira.

Infelizmente nao tive uma educacao financeira nem infantil nem adulta. Fui criada pela minha avo, e meus pais viveram na pele a "sindrome dos pais que trabalham fora" e que, apesar de serem ate certo ponto "controlados", tentavam suprir a ausencia com "carinhos materiais", nao que eu acho que todos os pais que trabalham fora sofram dessa "sindrome", muitos tem consciencia e fazem diferente, mas meus pais nao faziam.

Me lembro de pequena, ouvir muito a frase: Nao tem dinheiro. Acho que ouvi tanto isso, que depois de um tempo, dizia primeiro: Quando tiver dinheiro voce compra isso; Quando tiver dinheiro, me da aquilo; Quando tiver dinheiro, vamos em tal lugar.

Nao quero cair na cilada de ir pelo mesmo caminho que meus pais, estou tentando fazer diferente, e mais uma vez como nao sei muito sobre lidar com situacoes financeiras, la fui eu buscar. Ate porque nao quero que meu filho comeca a trabalhar aos 12 anos, como eu precisei comecar a trabalhar para ajudar em casa. Quero muito que ele se dedique aos estudos (que sao fundamentais) e quando tiver mais idade, comece aos poucos, talvez fazendo estagio primeiro, depois um emprego de meio periodo e por ai vai.

Adoro o site Dinheirama, apesar da linguagem muitas vezes parecer dificil para mim, mas nao desisto, uma hora me familiarizo mais com o contexto e me aproprio melhor do conteudo, mas uma coisa e' certa, aprendo muito por la, inclusive (acho) que foi la que eu li algo sobre mesada; nao tenho certeza pois nao guardei o link, mas lembro das licoes essenciais.

Conversei com o Paulo e la fomos nos comecarmos um cofrinho para o Nicolas, seguindo o que eu havia lido, a orientacao era algo mais ou menos assim:
* guarde R$1,00 por semana por idade do seu filho, se seu filho tem 5 anos, guarde R$ 5,00 por semana ou R$ 20,00 por mes. Esse dinheiro sera dele, para ele usar quando necessitar.

Achamos sensato, justo e interessante. Nossa duvida maior so e' quando ele podera comecar a administrar esse dinheiro, usando-o quando quiser? Eu acho (nao disse que nao sei muito sobre financas) que talvez la pelos 4 anos, acredito que ai sim, ele ja tera um pouco mais de nocao do que e' dinheiro, onde gastar e com o que gastar.

Sabemos que nosso exemplo e' fundamental nesse momento, e temos nos esforcado para mostrar  a ele, que dinheiro "nao vem do ceu",  "nem da em arvores"; falamos que o papai trabalha e ganha dinheiro para comprarmos as coisas, por isso precisamos cuidar do que temos.

Outro assunto que sempre tocamos e enfocamos e' o excesso, a vida por aqui e' dura e dificil, bem diferente do que muita gente pensa, entao nao temos muitas coisas, nao compramos loucamente ou sem necessidade. Um exemplo disso e' que o Nicolas tem 2 pares de tenis, acho que ele nao precisa mais. Um dia conversando com minha mae ela disse que tinhamos uma vida estranha e que as criancas que ela conhece (que moram perto dela no Brasil) tem muitos pares de sapato... confesso que ja esperava esse tipo de comentario, entao nem me surpreendi, pois sei tambem que nossa realidade aqui e' diferente.

Mostrar ao meu filho que ter o essencial e' fundamental, mesmo ele sendo pequeno, sabe que ter demais nao faz bem, sendo assim toda vez que ganha um brinquedo novo, escolhemos um que ele nao brinca tanto e doamos para uma charity, que revende por um preco acessivel e reverte o que arrecada para a instituicao referente.

A nova atracao dele, sao uns brinquedos que tem (estrategicamente colocados em frente a alguns caixas) no supermercado, sao carros, motos ou o trem que ele ama. Porem para essas maquinas funcionarem e' preciso colocar moedas ou seja dinheiro, vamos ao mercado umas 3 vezes na semana e ele pode brincar nesses brinquedos so uma vez, senao haja dinheiro. No alto dos seus 2 anos, as vezes ele nao lembra que ja brincou na semana, e ai eu o lembro dizendo que a mamae comprou danone ou uma bolacha diferente que ele gosta e que nao tem dinheiro para colocar no brinquedo. Pode parecer estranho mas ele entende e saimos felizes da vida, sem estresse.

Aos poucos vou melhorando meu saber sobre educacao financeira e nao so infantil mas adulta tambem, pois essa e' mais uma area da qual e' responsabilidade dos pais sim.

E voce como ensina seu filho(a) na sua casa? Existe mesada, nao existe? Tenho certeza que com essa troca todos nos saimos ganhando, pois estamos plantando uma valiosa semente para o futuro, onde jovens poderao escolher melhor, consumir melhor (e mesno compulsivamente) e disfrutar melhor do "suado" dinheiro sem tanto sofrimento. Essas sao minhas esperancas!

Blogueiras(os) que estao participando:

* Aline
* Sam
* Ro
* Nina
* Deh
* Debora
* Dora
* Lucia


3 comentários:

  1. Oi Grazi, tudo bem?
    Você faz bem ao tentar evitar os excessos com relação ao seu filho. Embora ainda não seja pai, imagino que protegê-lo desde pequeno do consumismo exacerbado é essencial para que ele se torne um adulto que dará valor às suas conquistas.
    A propósito, também não sou bom com finanças. Uso cartão de crédito somente quando não tem jeito mesmo e evito o quanto posso compras à prazo. Se não tenho, procuro não comprar. E isso eu faço ao contrário do que sempre vi meu pai fazendo!
    Sucesso na educação de seu filho eu sei que você terá. Resta-me desejar-lhe sucesso com as finanças!
    Abraço!
    Antônio

    ResponderExcluir
  2. Excelente seu post.

    O consumismo eh algo que realmente me preocupa hoje em dia... A TV eh o principal motivador, acredito. Tb acho que eh essencial o exemplo dos pais, que devem valorizar sempre as brincadeiras de imaginacao, mimicas, o uso de materiais simples pra criar brinquedos...

    A mesada tb eh essencial pra que saibam o que se compra com aquele valor, que aprendam a administrar a quantia e economizar.

    Adorei a dica de doar um brinquedo sempre que ganhar outro. Ensina a ter desprendimento e exercita a caridade...

    Beijos! Lu (digitando com uma mao, pois o Nic nao quis berco de jeito nenhum e ta aqui matando a saudade do colo de mae)

    PS: me passa a receita do bolo gelado! lu.azevedo.costa@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Querida Graziela,

    Que exemplo de vida e de atitudes.
    Parabéns! Confesso que também sou meio assim e sou muito discriminada por isso. Mas sou fiel às minhas convicções.
    Obrigada por contribuir de forma muito especial a nossa blogagem.
    beijinhos e vou tuitar o seu post
    :)

    ResponderExcluir
Related Posts with Thumbnails