segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

2014 (ainda)

Todo domingo eu recebo por email a "carta dominical" do Ale. Acho que já comentei isso aqui outras vezes. Essas cartas são muito legais, instigantes, deliciosas e cutucantes até.

Tem carta que te faz rir, chorar, pensar, refletir e as vezes vai direto na ferida "tá ruim tem certeza mas tá ruim mesmo....". O que eu mais gosto das cartas entre tantas coisas é que eu as leio ouvindo a voz do Ale e no final sempre tem o sorrisão largo dele, de bônus.

É sobre uma dessas cartas que eu quero falar hoje (de novo). Se quiser receber as cartas no seu email também é bem simples, clica aqui e bingo.

A última carta do ano falava sobre como foi o ano do Ale, um conto e antes do conto uma cutucada básica: 

Aconteceram coisas boas e coisas ruins.
Mas aconteceram muito mais coisas boas que coisas ruins.
Muito embora a gente cultive a tendência de enfatizar as coisas ruins, não se engane: sim, aconteceram mais coisas boas que coisas ruins na sua vida e na minha." 
Você pode não acreditar mas tenho um post prontinho que iria publicar no último dia do ano dizendo tudo de ruim que aconteceu e lá digo também que não tenho motivo nenhum para comemorar já que o ano foi uma meleca. Mas depois desta última carta do Ale parei por uns bons minutos e pensei: "O ano foi ruim, perder três primos não foi fácil principalmente pela forma como foi, passar tudo o que passei no meu trampo também não foi mole, ver o sofrimento do Ni no primeiro semestre foi doído demais MAS e as coisas boas onde estão? Tudo o que eu vivi de bom faço o que, jogo no lixo? Nananinanão". 
Aos poucos fui listando as coisas boas e consegui uma bela lista de quase 15 coisas que aconteceram e é sobre elas que eu quero falar. Chega de negativismo, de pessimismo e de olhar só para o lado ruim de tudo. A vida é boa e aproveitei bastante mesmo e apesar das dificuldades.
Vamo lá: 
1) Janeiro fomos para a praia (e foi muito gostoso);
2) Janeiro ainda fui ao cinema e conheci o Ale ao vivo e a cores (foi muito legal!!!);
3) Fui três (3) vezes para São Paulo este ano. Todas as vezes dei um jeito de ver a família. Fui em abril para um encontro, voltei em agosto para o casamento da minha prima e em novembro foi super corrido pois fui para um seminário maravilhoso mas consegui ver minha avó, minhas primas, minha mãe, minha tia e voltei para Curitiba;
4) Finalzinho de janeiro comecei a trabalhar. Meu desafio foi ser professora regente de um grupo de crianças de 2-3 anos. Adorei a experiência;
5) Abril participei de um encontro de blogueiras e por fim conheci a Raquel. Nós já conversávamos bastante tempo pelo twitter e essa oportunidade foi muito boa;
6) Fizemos muito turismo por Curitiba, desbravando nossa nova cidade. Altas descobertas boas;
7) Participei de encontros sobre Consumismo Infantil e Feira de Troca e foi super produtivo;
8) Fomos ao cinema assistir "Como treinar seu dragão 2" na companhia de amigos queridos;
9) Estivemos mais perto de primos e amigos de longa data (apesar de não ter sido muitas vezes mas conseguimos encontrá-los durante o ano e isso é que importa);
10) Fui ao seminário internacional com a Emília Ferreiro, o que para mim foi um privilégio ouvi-la ao vivo. Nunca sonhei na minha vida que um dia teria essa oportunidade e ela apareceu e eu agarrei com toda a força e mais uma parte do meu décimo terceiro porque claro que foi caro mas valeu cada centavo investido;
11) Depois de mais de dez (10) anos sem saber o que é décimo terceiro esse ano cruzei com ele novamente;
12) Continuo casada e feliz, sinto e sei o quanto Deus tem cuidado de nós. Muitas mas muitas vezes mesmo sinto como se eu não fosse digna para merecer tanto, esses pensamentos permanecem por alguns minutos só depois eles  somem porque eu não quero eles me trapaceando novamente, dessa vez não.  
13) Andei de bicicleta - depois de muito tempo sem andar - graças ao meu filho que pediu e eu não pude negar o pedido dele. E foi bom muito bom.
14) Novamente estou procurando emprego mas preciso dizer que fiquei muito feliz com o trabalho que realizei ao longo desse ano, o retorno dos pais, da coordenação e da direção da escola foram ótimos e sair de uma empresa ouvindo que "as portas sempre estarão abertas" para mim significa que ainda tenho possibilidades lá, caso precise. Isso não tem preço.
Sem querer listei 14 motivos/ coisas boas que aconteceram ao longo desse ano que poderia ter somente coisas negativas, tristes e sem graça se não fosse o pequeno puxão de orelha do Ale. Óbvio que sinto muito por nossas perdas familiares (tão próximas) jamais serão esquecidas mas precisamos encontrar forças para seguir vivendo, um dia de cada vez na esperança de que dias melhores virão.
Wiliam, Lara e Carlinhos estarão para sempre em nossas lembranças e em nossos corações.
Que venha 2015 com todas as alegrias e seus desafios. 
Se eu puder fazer um pedido, um único seria: seja (só) um pouco mais generoso*, por favor. Pode exigir de mim, não me importo mas não seja tão duro. Obrigada. 
* Será que o correto seria bondoso ao invés de generoso? (me perdi agora).
** Ah já ia me esquecendo mas para não quebrar a lista com os 14 acrescento aqui no final, consegui ler muito mais esse ano do que o ano passado. Isso para mim é sim motivo de alegria. E conheci, novamente, a generosidade das pessoas algumas que nem nos conheciam. Muito obrigada (logo mais conto sobre).
Enquanto eu tentava me equilibrar ele "flutuava" para me acompanhar. 

Andamos de bici juntos e ele me guiava porque já conhecia o caminho. 

sábado, 27 de dezembro de 2014

Planos para o futuro.

Não tenho. 
Não tenho planos para o futuro.
Tenho sim uma carta que abrirei daqui alguns anos e que fiz em 2012 e só.

Férias mais final de ano/ começo de ano novo tudo isso junto as vezes me deixa um pouco depressiva. Essa ânsia de que temos que fazer, temos que ser, temos, temos e temos. Eu não tenho que nada, eu só quero viver, bem de preferência e se for possível.

Esse ano me fez pensar em milhões de coisas e rever outras tantas. Tentei me ver em algumas situações e não consegui; no meio disso tudo tentei me respeitar e seguir as regras quase, quase mesmo por um tris não surtei feio. Surto daqueles que a pessoa sai amarrada na camisa de força sabe? Então foi tudo tão desafiador, intenso e cansativo assim.

Nunca, jamais, em momento algum sonhei que nossa volta seria dessa forma. Claro que eu sabia que seria difícil até porque tanto tempo fora faz a gente sair um pouco da realidade, perder um pouco das questões culturais que sempre estiveram tão presentes.

Mas e agora, como será? 

Eu me pergunto isso diariamente.

Começarei minha peregrinação por emprego tudo de novo na esperança que esse ano será mais fácil do que o ano passado.

Tentarei, novamente, reencontrar os amigos com mais frequência (como é complicado conseguir acertar todas as agendas).

Vou atrás para fazer um curso ou dois, não sei ainda.

Mas o que eu mais quero mesmo é estar mais perto do meu filho. Não quero ser a mãe do final de semana, não quero vê-lo uma hora de manhã e outra a noite. Não consigo mais.

Muitas vezes me pergunto: Por que, pra que tudo isso que estamos passando?

Eu sei e tenho consciência que nada na minha vida foi fácil. Comecei a trabalhar muito cedo, me esforcei para continuar estudando e não deixar o cansaço me vencer, não desisti do meu sonho. Consegui concluir o primeiro, segundo e terceiro grau junto com alguns cursos paralelos que me ajudaram muito.

Sempre tive o  apoio da minha avó e dos meus pais mas era mais um apoio moral; eles nunca sentaram comigo para estudar ou me deram bons livros para ler. Foi bem no "se vira que você não é quadrada" e ponto.

Muitas vezes não acredito no tudo que eu consegui. Lembro da alegria que foi entrar em um avião pela primeira vez em 2002 com o grupo de coordenadores e diretores e seguir para a Espanha. Que satisfação aprender tudo o que aprendi e vivi naquela semana. Depois em 2004 outro avião só que sozinha mudando todo o ruma da minha vida. 

Espanha - Londres - Brasil.

Quanto aprendizado. Quanto banheiro limpei, quantas vezes abaixei a cabeça e respirei fundo pensando "vai passar, vai passar, vai passar".

Nunca achei que aguentaria tanto. Como chorei, como suportei coisas que nunca imaginei na minha vida mas superei, com a ajuda do Paulo e só. Não tivemos o apoio de ninguém ao contrário durante um bom tempo nós que éramos os apoiadores por isso não podíamos nem pensar em jogar a toalha.

Por já ter passado algumas dificuldades muitas vezes me vem essa angústia sem motivo e me pego pensando: por que?

Por que tanta dificuldade? Por que tanta humilhação, de novo? Por que tanta solidão? Por que tanta provação? 

Sei que não adianta ficar repetindo "tá difícil" porque não mudará nada. Seguirei dizendo "tentarei de novo e de novo e novo" mas que tá f***a, tá!

Continuo com o mantra "vai passar, vai passar, vai passar" uma hora passa. 
Tenho fé. 

Ah! Não tinha porque eu publicar esse post mas também não tinha porque não. Aqui é um canto onde também faço meus desabafos e viver no Brasil é lindo mas nem tudo são flores como pintamos quando estamos longe (apesar de que nunca pintei esse Brasil assim) tem os espinhos também, é preciso lembrar deles, os espinhos.


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Dez anos!

Ontem completamos dez anos de casados.
Já não somos mais somente dois e que venha mais uma década pela frente com muita saúde, amor, diálogo, respeito e todas as bençãos dos céus.
Viva o dia 24.12.
Feliz Natal!


Essa foto tem tanta história para contar.
Antes de chegar a data para voltarmos para o Brasil decidimos fazer um pouco mais de turismo e tirar fotos para guardar de lembrança. Fomos em vários lugares que adoramos e essa foto - todos juntos - demorou mais saiu. 
Olho ela com alegria e tristeza ao mesmo tempo. Alegria por lembrar todo o tempo bom que passamos nessa cidade maravilhosa, lembrar quantas e quantas vezes estivemos por ai com parentes, amigos e todos que nos visitaram, relembramos as várias vezes que passamos por ai, andamos beirando o rio e não tinha como não relembrar do dia que o Nicolas nasceu, quando saímos do hospital e tantas outras coisas (o hospital que o Nicolas nasceu é aí do lado). Tristeza por saber que provavelmente vamos demorar muito para voltar e tirar essa foto novamente. 

Se você prestar atenção nas nossas expressões vai observar que o único que estava felizão da vida era o Paulo, como ele esperou esse momento de voltar, eu estava com o coração apertado (não imaginava como seria, como ficaríamos ou o que poderia acontecer) e o Nicolas estava com cara de que "não aguentava mais tirar foto". Depois dessa não tiramos mais nenhuma foto fazendo pose e ele curtiu o passeio com uma cara mais feliz.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Férias e "O" Ano de 2014.

O ano ainda nem acabou mas as férias já chegaram. Aquelas tão sonhadas férias que quando começam não sabemos nem o que fazer primeiro porque tem tanta coisa para fazer e ao mesmo tempo queremos descansar e o corpo pedindo: "por favor, não faça nada, pelo menos por uns dias".

Um resumão ou um balanço geral do que foi nosso ano (pela minha visão):

Grá
Comecei o ano alegre e feliz porque no finalzinho de janeiro consegui um emprego depois de uma longa e dolorosa busca (dolorosa porque entreguei vários cvs e nada de emprego por fim me dei conta que aqui em Curitiba para conseguir uma vaga em escolas particulares somente por indicação. Então tá então, conhecendo pouquíssimas pessoas como conhecemos como iria conseguir algo? Por um milagre somente e acho que foi assim mesmo).
Passei por um deserto gigante, encontrei algumas serpentes, umas traíras e uns bichos preguiças pelo caminho; esses últimos são fogo, dá uma agonia. Resisti, firme e forte. Adoeci porque engoli mais do que poderia mas faz parte do jogo. Com tudo isso percebi o quanto quero estar onde sempre estive, o quanto sei e sou capaz e que não, não preciso me intimidar só porque não sou daqui.
Confesso que me sentir mais estrangeira aqui do quando morei todos aqueles anos fora do meu pais.
Terminou e ai o que aconteceu? Com tantas emoções e sentimentos no último dia comecei a espirrar e peguei uma gripe daqueles que estou me recuperando só agora; uma semana espirrando, tossindo, com a garganta arranhando e botando tudo o que precisava para fora.

Paulo
Foi um super companheiro como sempre. Assim como eu e o Nicolas ainda está em processo de adaptação, quer dizer estamos todos mas nem por isso jogou a toalha e pronto. Correu atrás e conseguiu. Trabalhou em um hotel por alguns meses, na época da Copa e se chocou tanto ou mais do que eu por ver tanta coisa errada, tanta coisa que poderia e deveria ser feita certa e não são. Estava trabalhando seis dias e folgando um, quase não nos víamos - teve semanas que nos vimos três dias - o Nicolas sentindo muita a falta dele. O melhor que fez foi sair e ficar com o Ni no período da tarde, cuidando de tudo em casa enquanto eu trabalhava já que tinha assumido o compromisso de uma sala e não queria abandonar no meio do caminho.
Não toca no assunto Londres nunca, não faz comentários e quando eu pergunto algo quase sempre responde de forma indiferente ou seja voltar talvez não tão cedo (ou nunca mais).

Nicolas
De setembro a dezembro do ano passado foram meses difíceis. A adaptação, a falta que sentiu do nosso apartamento antigo, da escola, dos amigos, dos parques, da bicicleta dele.  Adoeceu. O Paulo chegou as coisas começaram a se assentar um pouco.
Fomos para a praia, comecei a trabalhar e as aulas dele começaram também. Ele sentiu muito minha ausência mesmo tendo a presença do Paulo constantemente, sempre fomos muito próximos.
Voltou a adoecer. Não estava nem um pouco motivado na escola. Sofreu agressões na escola, apanhou mesmo, duas vezes e ai eu escrevi pedindo um horário para conversarmos sobre e a situação foi resolvida. 
Ele enfrentou de frente, bravamente. 
Continuou adoecendo até agosto quando descobrimos que ele tem refluxo e se não tratássemos logo nem sei o que poderia acontecer para falar a verdade. Desde então ele está tomado um remédio para o estômago e com isso não ficou mais doente.
O segundo semestre foi mais tranquilo e quarta fomos para a última reunião do ano (e a segunda de quatro que eu consegui participar). 
A professora só fez elogios a ele, disse que ele está ótimo, que é educado, escuta, se relaciona bem com todos, faz tudo o que ela pede, é criativo, organizado e muito inteligente; poderia acompanhar a terceira série tranquilamente.
Comentou ainda que ele é uma daquelas crianças que ela ainda vai ouvir falar muito bem dele, que é um menino de ouro entre outras coisas mais.
Saímos da escola super feliz e ele também; mesmo sabendo de várias coisas que ela disse é muito bom ter esse tipo de retorno. Nesse dia ele quis levar a câmera e tirou foto com todas as pessoas do convívio dele, todos sem exceção, foi agradecendo e desejando "feliz natal". Dessa fez eu não sugeri nada foi ele quem quis e assim fez.

Ainda estamos em adaptação e o que será o ano que vem... só Deus sabe.



* Preciso escrever sobre nossas vivências na escola pública daqui pois vejo boas práticas e encontramos com muitas pessoas com boa vontade, o que tem feito a diferença na vida de muitas crianças.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

BookCrossing Blogueiro (9a. edição)

Mais uma vez aconteceu esse evento maravilhoso que é o BookCrossing Blogueiro e eu não consegui participar nem divulgar. Desculpa Luma.

Para quem ainda não conhece ainda o BookCrossing Blogueiro saiba que é bem simples: é o movimento de libertar livros. Juntos blogueiros se preparam e durante um período de tempo (uma semana ou 10 dias) os livros são libertados por ai. 

Adoro essa ideia de livros e bibliotecas livres. E mesmo não participando tão ativamente dessa vez fico feliz em saber que cada vez mais pessoas estão participando.

Participamos indiretamente e sempre apoiamos essas ações. Para quem ainda não conhece as bibliotecas livres de uma passadinha no blog Bibliotecas do Brasil e aproveitem. 

Esse ano dei de presente alguns livros e no final do ano passado li um livro que gostei muito. Resisti a tentação de ver o filme porque quero ficar com minhas sensações sobre o enredo e não substituí-la por outra que foi elaborada para um filme. De repente no facebook uma amiga comentou que tinha uma lista de livros que gostaria de ler e esse livro estava entre eles. Conversando com ela comentei sobre o livro e perguntei se queria o meu, ela adorou a ideia mas só consegui envia-lo em outubro.


Então a sugestão para esse final de ano é: de livros, de preferência os que estão parados por ai na sua casa. 

* qualquer hora volto para comentar sobre esse livro e se você ainda não leu só digo uma coisa "vale a pena lê-lo".

sábado, 29 de novembro de 2014

Notícias + Uma receita de Cuca

Novembro foi o mês. Corrido, apertado, participação em seminário internacional (maravilhoso), visita a família, correria sem fim, estresse, nervoso, perca de peso, dor que não passa, emoção. Novembro foi, literalmente, o mês. Tanto que mal consegui escrever um único post, que dor no coração, olha aí outra dor (afff que não quero mais dor na minha vida não).

Mas no meio disso tudo me desafiei a fazer algo que me desse prazer, algo bom, algo gostoso e no meu trabalho consegui ver como era o preparo da "farofinha" da Cuca. Obrigada Celinha!!!

Tínhamos aqui em casa umas nozes pecan (também conhecidas como castanhas) perdidas. Queríamos fazer algo com elas mas não sabíamos o que. Então pensei: vou fazer uma Cuca e na farofinha incluo essas nozes. Voilá, bingo.

Procurei receitas na internet de Cucas - existem várias e com uma variedade enorme de ingredientes- e no meio do caminho desta busca lembrei que tinha uma receita de uma amiga querida e (pior) já tinha tentado faze-la algumas vezes mas sem sucesso. Na hora pensei: errei feio na farofa. Deve ter sido isso mesmo porque depois que vi alguém fazendo, acertei na primeira tentativa.

Então se eu fiz e deu certo qualquer pessoa pode fazer, acredite.

Antes da receita algumas observações minha:

* a Cuca é composta por 3 partes: a massa, a fruta (que pode ser banana, abacaxi, morango, uva) e a farofinha.

* parece que é muita coisa, que não vai dar certo mas dá, acredite e fica deliciosa.

* pense em um processo terapêutico. é mais ou menos isso. faça a farofa com as mão, se entregue, depois a massa que é bem simples e serve de base para qualquer bolo.

* como vi em uma receita fiz primeiro a farofa passei cling filme (plástico filme em português) e deixei na geladeira enquanto preparava o bolo.

* não usei fruta dessa vez e ficou ótimo então a fruta é opcional. Próxima vez tentarei com fruta, com certeza.

Receita de Cuca da Bruna

Primeiro faça a farofa e guarde na geladeira.

FAROFA
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de açúcar
4 colheres de sopa de manteiga (em temperatura ambiente)

Em uma bacia misture com as mãos todos os ingredientes. Se quiser acrescente uma colher de essência de baunilha ou um pouco de canela. A consistência é parecida com a da farofa salgada que fazemos.  

MASSA
2 xícaras (chá) de açúcar
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de manteiga (em temperatura ambiente)
1 xícara (chá) de leite
2 colheres (chá) de fermento
2 ovos

Bata os ovos, açúcar e manteiga até conseguir uma massa homogênea.
Acrescente o leite, a farinha de trigo (peneirada) e o fermento. (O fermento sempre coloco por último e misturo com uma colher e não na batedeira; aprendi que se bater muito o fermento ele perde o efeito e o bolo não cresce tanto. Se é verdade não sei mas prefiro não arriscar).
Despeje a massa numa forma untada, cubra com a fruta de sua preferência e então acrescente a farofa.
Leve ao forno médio por uns 40 minutos. Depende muito do seu forno, eu deixei o forno em uma temperatura média (+/- 220 graus C), nunca abro o forno antes de 20 minutos que o bolo está lá dentro e fico de olho pela porta para ver se está crescendo. 
Faça o teste do palito e assim que tirar do forno coloco em cima de uma grade e cubro com um pano de prato limpo desse jeito ele não abaixa tanto. 

Só posso dizer uma coisa ficou lindo e delicioso. Em meio ao caos eu nem acreditei que consegui fazer algo bom esse mês.

Minha forma não é muito grande - tamanho 16cm X 27cm - forma retangular. 

Achei que a quantidade da farofa era muita e não usei tudo. Erro meu, o certo é usar tudo. Vá com fé que não é muita não. E ficou assim por dentro: alto e fofo. 

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Desafio Fotos #31/52

Saudável
{ e que eu adoro, preparo e como/ bebo/ aprecio com gosto}



(Fotos tão diferentes mas ambas demonstram algo saudável que eu adoro).

sábado, 25 de outubro de 2014

Desafio Fotos #30/52


Um muito de tudo que sou hoje, eu devo a ela, minha primeira professora.

Tereka tambem conhecida como Maria Teresinha. 

Só entrei na escola aos 6 anos e a Tereka com sua voz forte e carinhosa, ao mesmo tempo, descobriu que eu precisava usar oculos; sem perceber me ajudou a aliviar um pouco minhas dores de cabeca.

Essa foto tem 30 anos, na epoca eu tinha 7 e foi em um dia 25 de outubro que tiramos a foto para a formatura. Foi nesse dia tambem que minha mae mandou uns saquinhos de doces como lembrancinha e eu consegui cortar meu dedo ao abrir o saquinho, no grampo.

Chorei e Tereka me consolou, me acalmou e talvez naquele dia tenha plantado a sementinha da docencia em mim (ou pelo menos a semente do amor pelas criancas).

Essa é uma das unicas fotos que tenha da minha época da pré-escola (eram outros tempos e fotos era algo para poucos, pelo menos na minha realidade).

Guardo varias professoras no meu coracao e na minha memoria. 

Que o dia 25 de outubro de 2014 seja tao bom quanto tantos outros que tenho vivido.

Nao sei nada de numerologia mas parece que 37 é um numero bom até porque 3+7=10.
{e mesmo depois de tanto tempo ainda continuo lendo, relendo e tentando me informar porque não dá para parar de estudar  }


sábado, 18 de outubro de 2014

Desafio Fotos #29/52

O Brasil e' imenso e lindo.
O Parana' e' lindo.
Sao Jose dos Pinhais.
{16.10.2014}


Um lugar lindo e maravilhoso!!!




quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Eu li.

Em abril eu li um livro que fazia muito tempo que gostaria de ler. Algumas pessoas queridas me indicaram e quando peguei emprestado na biblioteca nao achei que conseguiria terminar em duas semanas. Mas consegui e foi uma leitura gostosa apesar de dificil em alguns momentos.

O que tem me ajudado a ler mais durante esse ano e' meu trajeto para ir e voltar do trabalho. E' no minimo uma hora apesar de nunca demoro so' uma hora e' sempre mais entao aproveito e to tentando coloca minhas leituras em dia so' nao estou conseguindo vir aqui registrar. Esse livro, por exemplo, eu li em abril. Abril gente, abril e nos estamos em outubro.

Mas vamos la', sobre o livro.



O filho eterno conta a historia do filho autista do escritor e professor (super conhecido aqui no Parana', nao sei se no Brasil inteiro) Cristovao Tezza. Escrita por ele mesmo a historia se mistura em varios momentos entre a historia dele e do filho. A ideia do livro e' retratar como ele recebeu a noticia e como foi o convivio entre ele e o filho nos primeiros anos de vida do menino.

E' preciso estar atento pois como eu disse as historias se misturam, ora ela fala sobre o que ele ja' viveu (ha' alguns anos), ora ele conta o que estava passando no momento. E' uma delicia de ler mas se voce nao prestar atencao pode se perder em alguns momentos.

Queria ter tirado varias fotos, marcado varias partes pois tem partes/ frase muito reais e impactantes como quando o filho sai de casa e se perde pelas ruas do bairro, uma situacao quase que "normal" que pode acontecer com qualquer crianca a  qualquer momento e nao somente com uma crianca que necessita de cuidados especiais. A reacao do pai e' comovente, tudo que passa na cabeca dele, o caminho que ele percorre e como ele se encontra com ele mesmo depois desse momento e' uma das partes que eu gostaria de ter trazido para ca' para eternizar.





"Mas - isso e' uma sindrome, ele sabe: voce esta' vivendo uma sindrome de culpa, um transtorno de excesso de peso na alma. Imaginou que talvez o elevador nao subisse com o peso de seu sentimento de culpa, e sorriu com a graca simples da ideia. A porta se fechou, enfim, e o elevador subiu."

Culpa, culpa, culpa quem nunca passou por essa sindrome ops quem nao passa? Sendo maes, pais ou nao. Nossas escolhas nos levam a caminhos tortuosos mas floridos tambem.

Gostei bastante e quero ler outras obras do autor, so' nao sei qual ainda. 

Livro: O Filho Eterno
Autor: Cristovao Tezza 
Editora: Record
ISBN: 9788501077882             
Mais sobre o livro: aqui.

* Adoro os marca textos de ima que ganhei da Fernanda alem de lindos sao praticos. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Hoje o dia e' dele.


Hoje e' o dia dele.
Que dia mais feliz.
7 anos.
S-E-T-E anos.
Desculpa mas nao to preparada para isso nao. Quando alguem encontrar o botao que para o tempo, me avise, por favor.
So' consigo desejar coisas boas para esse menininho que veio me tirar do lugar, resignificar minha vida e me fazer olhar no meu espelho.
Muita saude, felicidades, diversao, criatividade e muito amor para voce, meu amor.
E viva o Nicolas!
Viva o dia 13.


{Nao era essa foto para vir para ca' mas ficara' essa por enquanto. Criancas e suas manias, que pe' e' esse enquanto le?}

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Desafio Fotos #28/52

De ponta cabeca... em uma sexta-feira qualquer para tentar comecar o dia melhor, de forma mais divertida tiramos essa foto ai.

(uma daquelas fotos que nunca deveriamos colocar em publico mas o momento foi tao divertido que vale a pena o risco).

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Desafio Fotos #27/52

Eu que fiz.... e ficou delicioso!

Se tem algo que me faz bem e' fazer bolo, torta, bolachinhas, paes e nem me importo em lavar tudo depois para mim faz parte do processo de fazer e deixar como eu achei; ate' porque quem vai usar a cozinha novamente depois sou eu.

(bolo de fuba com coco porque eu tava necessitada de um bolinho caseiro e simples)

domingo, 5 de outubro de 2014

Desafio Fotos #26/52

Botoes... ela tem nos acompanhado ha' mesesss e as vezes e' dificil fazer os pontos baterem, a conta fechar.


sábado, 4 de outubro de 2014

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Desafio fotos #24/52

Na minha xicara... cha' sempre cha' raramente leite com cafe' porque e' assim que eu gosto: leite com uma manchinha de cafe'.


quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Tentando, de novo.

Faz um tempo que eu acompanho um blog materno que lanca o desafio de uma foto por dia. Sempre quis fazer e nunca conseguia (e nao consegui ainda). Todo ultimo dia do mes e' lancado uma lista com uma palavra tema por dia, e' bem legal porem e' dificil conseguir ter disciplina.

Pensei com meus botoes: "setembro sera' um mes tranquilo vou tentar de novo". Sim eu ja' tinha tentado outras vezes e nao consegui.

O que me tocou dessa vez foi um post da Chantelle no facebook em que ela contava que esse  desafio estava fazendo bem para muita gente, que ela recebia varios emails com depoimentos de pessoas que melhoraram de depressao, que conseguiram comecar e finalizar um projeto entre tantos outros depoimentos que mostravam o quando desafio era bom e valido.

Achei que setembro eu conseguiria separar um tempinho por dia para mim, para escolher algo ou alguma foto relacionada ao tema, fotografar e postar. Ai que engano meu, nao nao consegui de novo. Comecei e parei. Como eu queria ter terminado e por fim setembro foi intenso, muito mais do que eu esperava e  imaginava. Ainda bem que acabou.

Ai lembrei,  no meio caminho, que comecei o projeto 52 fotos (uma foto por semana) e que estou super atrasada. Entao tomei vergonha na cara e vou aproveitar as fotos que ja' fiz - e mesmo parecendo sem logica as fotos- trarei elas para ca' para ver se consigo entrar em dia com esse projeto e finaliza-lo.

Acabei pensando o quanto eu estou priorizando tudo - casa, filho, trabalho - menos um tempo para mim. Depois nao sei porque tenho algumas dores de cabeca, uns momentos de choro repentino e um cansaco sem fim.


* Consegui fazer uma semana inteira e olha foi bem gostoso. Pena que faltou tempo senao acho que meu mes ficaria bem legal!!!

domingo, 28 de setembro de 2014

A escola que sonhamos.

Se voce acredita que a educacao e' um agente transformador e que a escola pode ter uma estrutura diferente da que ela tem hoje entao, por favor, assista esse documentario.

O que eu mais ouvi foi: educacao, aprendizagem, escola, vertical, acolhimento, fazer ninho, respeito, estar junto, ao lado, sem paredes, sem turmas, com prazer, cultura da paz, mudancas, e' possivel e por ai vai.

Cada vez que vejo essas experiencias dando certo meu coracao transborda de alegria. Tudo que esta' relatado no documentario sao aqui do Brasil. Sim nos tambem fazemos coisas boas (e muitas).



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Desafio Fotos #23/52


Hoje eu queria sumir para o parque, o bosque ou as montanhas
para colher amoras, 
ver o sol nascer e se por,
fazer nada, 
pensar em nada.
Ninguem disse que seria facil 
mas me disseram que seria possivel, 
e nao quase impossivel.
Como nao da' para largar tudo e sair correndo
botei as armaduras de Sao Jorge e batei um dragao de cada vez
confesso que preferia treina-los, doma-los e cuidar de cada um dele 
com muito amor e carinho porque e' so' disso que eles precisam
e eu tambem.

{Foto do Mathieu, no Bosque Gomm dia 13/ setembro/ 2014}

Porque a vida e' bela e com amoras ela e' tambem deliciosa.
Colher fruta do pe' em plena cidade grande e' maravilhoso.
Viver isso com meu filho e' melhor ainda.

* Na foto sou eu, branquela como sempre.

(Escolha o comentario que mais te agrada o primeiro ou o segundo, eles nao se completam mas estao ai. E' o que temos para hoje, um dia que foi assim, meio estranho, meio bom e eu com uma super dor de cabeca ha' dias).

domingo, 21 de setembro de 2014

Quem pode ajudar?

Hoje venho fazer um pedido. 

Quer ajudar criancas de uma escola rural a ter acesso a materiais de arte? 

Se a resposta foi sim, muito obrigada.

E como podemos ajuda-las? De uma forma muito simples: montando um kit com materiais de arte, materiais que nao sao um absurdo de caro e que vao fazer a diferenca na vida dessas criancas.

Ontem sai e comprei os materiais para montar um kit. Agora vou encapar o caderno com papel pardo ou bobinha (como chamam aqui em Curitiba), acrescentar uns gibis (2 ou 3 que temos aqui em casa), colocarei tudo em um saquinho de TNT e por ultimo um pequeno bilhete escrito a mao por mim. Depois e' so' combinar com a Dani e o Juliano o local de entrega e eles continuarao o processo.

A Dani e o Juliano sao uns queridos, os maiores incentivadores dos livros e bibliotecas livres que eu conheco e nao poderiam ter tido iniciativa mais bacana do que essa. A acao e' deles mas eu estou ajudando aqui no blog porque acho que sempre podemos fazer algo mais.

A ajuda de todos e' mais do que bem vinda. Quem gostaria de ajudar mas nao esta' por perto, nao tem tempo ou quer uma mao, me escreva, fiz o mesmo pelo facebook e duas amigas queridas ja' me contactaram e combinamos como vamos fazer. No total ja' temos 5 kits, nao e' muito mas e' algo entao se quiser ajudar e' so' me escrever gra_flor@hotmail.com.

Esse foi o kit(zinho) que eu montei.
Ele contem:
* 1 caderno de desenho (A4 - tamanho da folha de sulfite) - R$6,90
* 1 livrinho de atividade (A Festa das Cores - Lugares do Mundo) - R$3,90
* 1 caixa de lapis de cor (12 unidades) - R$6,90
* 1 caixa de giz de cera triangular (12 unidades) - R$3,80
* 1 caixa de tinta guache (6 cores) - R$3,90
* 1 tubo de cola liquida - R$4,50
* 1 pincel (no. 12) - R$3,20
* 1 borracha - R$1,00
* 1 apontador de metal - R$1,90

O kit saiu por R$36. 

Esta' chegando o dia das criancas, Natal e tambem a epoca do decimo terceiro salario. Se quisermos podemos fazer algo a mais para as criancas, basta querer.

Minha parte estou fazendo e voce pode nos ajudar?

sábado, 13 de setembro de 2014

Parque Gomm

Conheci o Bosque Gomm por acaso. Estavamos indo para a Feira de Troca de Brinquedos em outubro (2013) e dei de cara com aquela casa amarela linda, um gramadao com algumas poucas pessoas por la' e um portao com cadeado. A feira de troca acontecia exatamente passando aquele portao mas como ele estava trancado tivemos que dar a volta no quarteirao para chegar na rua pequena e sem saida.

A feira em si foi muito legal. Conheci varias pessoas e ali mesmo me interei do movimento em defesa do Bosque Gomm. Passou outubro, novembro e dezembro. Aquela loucura por aqui, nossa adaptacao acontecendo, o Nicolas adoecendo sem motivo aparente, o Paulo chegou e depois de dezembro as coisas comecaram a caminhar com um pouco mais de sintonia.

2014 deu as caras no calendario e foi ai que ja' nao aguentavamos mais de vontade de ir para parques como faziamos quase que diariamente. Comecamos a frequentar o Gomm e tentar entender a que pe' andavam as coisas. Para nossa surpresa encontramos naquele espaco publico nao somente area verde, arvores, o canto dos passarinhos e uma casa linda amarela (ja' falei dela ne'?), encontramos tambem um grupo de pessoas abertas para quem nao e' da' cidade, dispostas a lutar por um local publico que e' nosso (nao e' somente meu, seu ou do fulano), encontramos pessoas de diferentes bairros, com olhares sensiveis e muita boa vontade.

Sabe como nos sentimos? Acolhidos. 

Com vontade de voltar sempre. De cuidar, colocar a mao na massa, estar junto.

Foi assim meio sem explicacao que abracamos a causa e tentamos estar sempre la'. Queriamos ir todos os sabados mas ainda nao conseguimos por minha culpa. Meus afazeres profissionais (leia-se planejamento, relatorio de avaliacao/ de observacao entre tantas outras coisinhas mais) acabam tomando tempo e alguns sabados falhamos, nao vamos e sentimos uma falta danada.

Hoje vivenciamos um momento incrivel aqui em casa: primeiro sabado mais tranquilo depois de alguns super atarefados; quando acordamos  ainda estavamos na cama comentei "o que vamos fazer hoje?" e o Nicolas na hora falou "vamos no Gomm". Nao tivemos duvida para onde iriamos. Levantamos nos ajeitamos e fomos para o local que nos sentimos bem e queremos estar.

Ele adora o Gomm e nao se importa de andar alguns quilometros para chegar la'. Poder levar a bola, ver outras criancas, olhar as plantas, ver livros, balancar na rede, ouvir musica, colher fruta no pe, brincar com cachorros entre tantas outras coisas gostosas que fazemos e' Gomm demais.

Ajeitando umas fotos da' para perceber claramente como o Parque, que agora foi oficializado, esta' tomando forma, ganhando uma cara unica com a colaboracao de muitas maos, ideias e coracoes. Sim porque eu acredito que tudo tem fluido bem, apesar da luta ardua, e' porque tem coracoes pulsantes que acreditam e querem ver aquele parque lindo e funcionando para todos, pois o que e' publico e' nosso por isso eu cuido.


O parque organico comecando a tomar algum formato
Janeiro/ 2014 
 Com muitos abracos

 Trabalho em equipe

Os livros livres apareceram para ficar  

Nao importa a idade. 
Tem vontade e' so' colocar a mao na massa. 

 O canteiro central comecou a ser gerado.

 Os canteiros laterais tambem.

Pintamos muros. 

 Conhecemos o "Machiche Machine" em um show ao vivo.
Marco/ 2014
 A manutencao e' fundamental mesmo quando parece que esta' tudo bem.

Os livros ganharam um lugar especial e a Biblioteca do Sossego e' um sucesso.
Abril/ 2014  

Cada um deixa sua marquinha.
(Na foto atividade da Pascoa com caca aos ovos) 

As belezas da natureza sempre presente. 

Assim como a pratica do Tai-Chi virou um "ritual matinal". 

E o Parque foi ganhando mais cores.
Maio/ 2014 
 E muitos apreciadores e apoiadores da causa tambem chegaram.

 As contribuicoes surgem de todos os lados e todas as formas.
Um lixo era necessario e ai esta' ele, lindo e colorido.

 Flores florescendo.

 Maos de fadas.

Muitos momentos de descobertas e encantamentos. 

Um local que inspira. 

Um local para brincar em familia. 
Junho/2014


Teatro no parque e' bom demais e foi lindo!
Julho/2014

Lual a noite com Joao Trista (mais uma surpresa descoberta para nos) em comemoracao ha' um ano do inicio da causa: Pleitar a oficializacao do espaco em Parque Gomm.
Julho/ 2014

O primeiro semestre do ano nesse espaco foi intenso com muitas atividades, reunioes, encontros e celebracoes. 

Essas fotos sao minhas, tiradas por nos (eu, Paulo e o Nicolas) confesso que tem dia que estamos tao la', tao conectados com a natureza, com as pessoas que esquecemos de fotografar. 

Temos muito mais fotos mas prometo que volto para contar sobre o segundo semestre que estamos vivendo pois esta' sendo tao lindo e intenso como o primeiro.

****** Adoraria colocar mais fotos mas acho que o post ja' esta' grande demais. Sem dizer que tem alguns eventos que perdemos entao nao tem o registro de tudo aqui mas se quiser acompanhar de perco e' so' curtir a pagina Salvemos o Bosque da Casa Gomm no facebook e nao perca mais nada sobre essa causa nobre: um parque decente e funcional para os curitibanos de todos os bairros.

Related Posts with Thumbnails