quarta-feira, 19 de março de 2014

Terca Literaria #3

O Paulo sempre gostou de ver filmes. Alugou varios nas bibliotecas publicas de Londres. Um dia chegou com um na mao e disse, como sempre, vamos ver? Eu disse nao, quero ler o livro antes.

Demorou mas consegui ler o livro e talvez nao queira ver o filme. Nao sabia do que se tratava, nao li resenhas, nao fui atras. Queria ler o livro. E li.

Gostei do Bruno. Menino curioso, esperto, irmao mais novo, carente (talvez), educado e divertido (dentro do possivel ele encontrava momentos de distracao).

Quando peguei o livro na mao tive um arrepio que subiu pela espinha e passou pelos bracos. Foi estranho. Li a contra capa e vi que o autor era irlandes, gostei. Ao final li que ele escreveu o livro em dois dias e meio. Fiquei com uma pulguinha de duvida atras da orelha: a historia e' real ou foi inventada?

Pensei que se fosse real estaria escrito em algum lugar e nao estava. 

Pensei tambem na importancia do dialogo, no quanto e' fundamental explicar o que esta' acontecendo em nosso entorno para as criancas e nao somente dizer: "vamos e pronto", "e' assim e acabou". As criancas sao sensiveis, inteligentes e percebem muito mais do que nos imaginamos.

Nao vou falar muito do livro para nao estragar o final, que e' triste, so' digo isso. Tudo bem que nao deve ser  surpresa para ninguem pois acredito que muita gente ja' deve ter visto o filme. Alias aconteceu algo engracado enquanto eu lia o livro: estava eu no onibus lendo o livro quando um cara comecou a puxar assunto e perguntar se eu ja' tinha visto o filme. Respondi que nao. Ele quis saber como era a historia do livro/ do que se tratava, respondi rapidamente porque nao queria estender muito o assunto. Entao ele me disse: "e' igual ao filme mas nao vou te contar o final para nao estragar sua leitura". Agradeci e continuei lendo.

Imaginava um final completamente diferente e novamente pensei no quanto a vida pode ser cruel; nao a vida mas as nossas escolhas podem nos levar a caminhos estranhos e alguns ate' sem volta. Acho que o pai do Bruno nunca mais foi o mesmo.

(Uma das partes que mais gostei ate' porque concordo com esse pensamento)

Nome: "O menino de pijama listrado"
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras 

* Li esse livro e mais um em fevereiro. Agora em marco so' tenho lido sobre educacao/ maternidade e processos de aprendizagem, feliz ou infelizmente. Nem sei mais o que dizer.

Um comentário:

  1. Pelo jeito você também se rendeu aos marcadores de página magnéticos. É ounão é muito amor, para os leitores compulsivos?

    ResponderExcluir
Related Posts with Thumbnails