segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

2014 (ainda)

Todo domingo eu recebo por email a "carta dominical" do Ale. Acho que já comentei isso aqui outras vezes. Essas cartas são muito legais, instigantes, deliciosas e cutucantes até.

Tem carta que te faz rir, chorar, pensar, refletir e as vezes vai direto na ferida "tá ruim tem certeza mas tá ruim mesmo....". O que eu mais gosto das cartas entre tantas coisas é que eu as leio ouvindo a voz do Ale e no final sempre tem o sorrisão largo dele, de bônus.

É sobre uma dessas cartas que eu quero falar hoje (de novo). Se quiser receber as cartas no seu email também é bem simples, clica aqui e bingo.

A última carta do ano falava sobre como foi o ano do Ale, um conto e antes do conto uma cutucada básica: 

Aconteceram coisas boas e coisas ruins.
Mas aconteceram muito mais coisas boas que coisas ruins.
Muito embora a gente cultive a tendência de enfatizar as coisas ruins, não se engane: sim, aconteceram mais coisas boas que coisas ruins na sua vida e na minha." 
Você pode não acreditar mas tenho um post prontinho que iria publicar no último dia do ano dizendo tudo de ruim que aconteceu e lá digo também que não tenho motivo nenhum para comemorar já que o ano foi uma meleca. Mas depois desta última carta do Ale parei por uns bons minutos e pensei: "O ano foi ruim, perder três primos não foi fácil principalmente pela forma como foi, passar tudo o que passei no meu trampo também não foi mole, ver o sofrimento do Ni no primeiro semestre foi doído demais MAS e as coisas boas onde estão? Tudo o que eu vivi de bom faço o que, jogo no lixo? Nananinanão". 
Aos poucos fui listando as coisas boas e consegui uma bela lista de quase 15 coisas que aconteceram e é sobre elas que eu quero falar. Chega de negativismo, de pessimismo e de olhar só para o lado ruim de tudo. A vida é boa e aproveitei bastante mesmo e apesar das dificuldades.
Vamo lá: 
1) Janeiro fomos para a praia (e foi muito gostoso);
2) Janeiro ainda fui ao cinema e conheci o Ale ao vivo e a cores (foi muito legal!!!);
3) Fui três (3) vezes para São Paulo este ano. Todas as vezes dei um jeito de ver a família. Fui em abril para um encontro, voltei em agosto para o casamento da minha prima e em novembro foi super corrido pois fui para um seminário maravilhoso mas consegui ver minha avó, minhas primas, minha mãe, minha tia e voltei para Curitiba;
4) Finalzinho de janeiro comecei a trabalhar. Meu desafio foi ser professora regente de um grupo de crianças de 2-3 anos. Adorei a experiência;
5) Abril participei de um encontro de blogueiras e por fim conheci a Raquel. Nós já conversávamos bastante tempo pelo twitter e essa oportunidade foi muito boa;
6) Fizemos muito turismo por Curitiba, desbravando nossa nova cidade. Altas descobertas boas;
7) Participei de encontros sobre Consumismo Infantil e Feira de Troca e foi super produtivo;
8) Fomos ao cinema assistir "Como treinar seu dragão 2" na companhia de amigos queridos;
9) Estivemos mais perto de primos e amigos de longa data (apesar de não ter sido muitas vezes mas conseguimos encontrá-los durante o ano e isso é que importa);
10) Fui ao seminário internacional com a Emília Ferreiro, o que para mim foi um privilégio ouvi-la ao vivo. Nunca sonhei na minha vida que um dia teria essa oportunidade e ela apareceu e eu agarrei com toda a força e mais uma parte do meu décimo terceiro porque claro que foi caro mas valeu cada centavo investido;
11) Depois de mais de dez (10) anos sem saber o que é décimo terceiro esse ano cruzei com ele novamente;
12) Continuo casada e feliz, sinto e sei o quanto Deus tem cuidado de nós. Muitas mas muitas vezes mesmo sinto como se eu não fosse digna para merecer tanto, esses pensamentos permanecem por alguns minutos só depois eles  somem porque eu não quero eles me trapaceando novamente, dessa vez não.  
13) Andei de bicicleta - depois de muito tempo sem andar - graças ao meu filho que pediu e eu não pude negar o pedido dele. E foi bom muito bom.
14) Novamente estou procurando emprego mas preciso dizer que fiquei muito feliz com o trabalho que realizei ao longo desse ano, o retorno dos pais, da coordenação e da direção da escola foram ótimos e sair de uma empresa ouvindo que "as portas sempre estarão abertas" para mim significa que ainda tenho possibilidades lá, caso precise. Isso não tem preço.
Sem querer listei 14 motivos/ coisas boas que aconteceram ao longo desse ano que poderia ter somente coisas negativas, tristes e sem graça se não fosse o pequeno puxão de orelha do Ale. Óbvio que sinto muito por nossas perdas familiares (tão próximas) jamais serão esquecidas mas precisamos encontrar forças para seguir vivendo, um dia de cada vez na esperança de que dias melhores virão.
Wiliam, Lara e Carlinhos estarão para sempre em nossas lembranças e em nossos corações.
Que venha 2015 com todas as alegrias e seus desafios. 
Se eu puder fazer um pedido, um único seria: seja (só) um pouco mais generoso*, por favor. Pode exigir de mim, não me importo mas não seja tão duro. Obrigada. 
* Será que o correto seria bondoso ao invés de generoso? (me perdi agora).
** Ah já ia me esquecendo mas para não quebrar a lista com os 14 acrescento aqui no final, consegui ler muito mais esse ano do que o ano passado. Isso para mim é sim motivo de alegria. E conheci, novamente, a generosidade das pessoas algumas que nem nos conheciam. Muito obrigada (logo mais conto sobre).
Enquanto eu tentava me equilibrar ele "flutuava" para me acompanhar. 

Andamos de bici juntos e ele me guiava porque já conhecia o caminho. 

Um comentário:

  1. Querida Gra
    Quanta coisa boa!
    Da proxima vez que vier pra SP me avisa, adoraria te conhecer pessoalmente!
    Voltar a andar de bicicleta é uma delicia, ne? Tbe tive a mesma sensação
    Feliz ano novo, querida!
    Bjks mil

    www.blogdaclauo.com

    ResponderExcluir
Related Posts with Thumbnails