sexta-feira, 13 de julho de 2012

Sexta-feira e 13

E eu lhe pergunto e dai?

Meu dia foi tao bom que nem lembrei que hoje e' sexta-feira e 13.

Mas lembrei que daqui tres meses meu filho completara' 5 anos...gente C-I-N-C-O. Sei que essa frase e' mais batida do que nao sei o que mas "o tempo passou voando".

Lembro de um bebezao que nasceu quietou e choramingou logo depois;

lembro de um bebe que mamava muito e nao engordava, e isso me fez desistir do aleitamento materno exclusivo ( sofri muito por isso, pois lutei com todas as minhas forcas para dar o peito exclusivamente e nao consegui, falhei como mae, eu sei);


lembro de um bebe sempre atento, observador e nem um pouco chorao, que sempre brincou muito, ouvia historias com atencao e que ha' tres semanas de completar um ano comecou a andar;


lembro do aniversario de um ano do meu filho (que dormiu na hora do parabens!);

lembro do aniversario de dois anos do meu filho, que estava tao feliz que nao se cabia em si;

passamos o aniversario do Nicolas de tres anos na estrada, voltando de Curitiba para Sao Paulo (mas comemoramos no Parana no dia anterior com os avos paternos e um dia depois com a familia materna);

no aniversario de quatro anos do Nicolas ele aproveitou muito, quase nao temos fotos (as poucas que tiramos nao ficaram boas) mas as recordacoes serao para sempre, principalmente porque foi o primeiro aniversario na escola.
(Escrita espontanea:
"Olimpiadas Nicolas Graziela Paulo Todo Mundo"
Ele fez um desenho e escreveu onde gostaria de ir e com quem :))

Cinco anos esta' muito proximo do fechamento de um ciclo, e' uma data importante. Hoje faltando pouco para essa data, convivemos com um menininho cheio de criatividade, que adora falar, cantar, dancar, ir ao parque, ouvir historias, brincar e criar... ele inventa muitas coisas, senta, faz e fica feliz por ter conseguido.

O Nicolas que acorda todos os dias com um sono pesado nos olhos e um sorriso no rosto esta' crescendo tanto quanto seus pais envelhecendo, porem isso nao nos tira a alegria de ve-lo amadurecer, criar asas e forcas para um dia deixar o ninho.

Nunca pensei que permitiria que meu filho dormisse em outro lugar que nao fosse na nossa casa ou ao nosso lado. Foi preciso. E ele se comportou muito bem, gostou e aproveitou, quer mais.

Eu sou a mae chata, a que pega no pe', da' bronca, faz comida gostosa, poe para dormir de mao dadas, da' beijos, muitos beijos, abracos e corujo muito (mesmo ele reclamando).

O pai e' amigo, companheiro, o que joga bola, corre, cria coisas, fala baixo, e' rapido, conversa menos, mas abraca muito, abraco apertado e quando o pai precisa trabalhar ate tarde e' no telefone que o pequeno mata a saudade.


***
Nicolas, filho querido, a vida nos presenteou e nos so' temos que agradecer.

Sei que sou mais do que mae, mas nao sei o que eu seria que nao fosse sua mae, hoje ser mae e' o papel mais importante que eu desempenho, me esforco, me dedico, porque so' quero uma coisa: sua felicidade.

Te ver feliz me faz feliz.

Te amomos e seja feliz, sempre.

Com carinho
Gra e Paulo
{mais conhecidos como mae e pai}

11 comentários:

  1. Claudia Fernandasábado, 14 julho, 2012

    Lindo Grá. Saudades!

    ResponderExcluir
  2. É uma frase batida mas tão forte e verdadeira. Também senti isto aos cinco anos do meu menino. Vê-los crescendo saudáveis, aprendendo dia a dia as alegrias, momentos difíceis também é muito agradável, é felicidade!
    Espero sua opinião por lá! Beijo

    http://abrindoclareiras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ai Grá, vc me fez chorar, lindo demais. Isso é ser mãe. Agora mais do que nunca entendo o que é padecer no paraiso. Claro que não temos só flores, mas os espinhos são para aprendermos. beijos

    Dany Mazzo

    ResponderExcluir
  4. Gra, lindo o texto; parabens para o Nicolas!

    Nao fala que voce falhou como mae por nao ter dado peito exclusivo nao. Muito pelo contrario - tem que ser muito guerreira e muito mae para tentar ate nao dar mais, e saber a hora de parar de tentar e mudar a estrategia. Acho que isso eh parte de ser uma mae vitoriosa. Olha pro seu filho e diz que esses cinco anos nao foram de puro sucesso?

    ResponderExcluir
  5. Mas uma que chorou pq é uma manteiga derretida e meu filho faz cinco anos daqui há 2 meses. Então , eu fui te lendo e me lendo depois de fazer ele dormir aqui com massagens nos pés. Se Deus inventou alguma coisa melhor que criar filhos, guardou só pra ele.

    beijos

    ResponderExcluir
  6. É tão bom ter esses momentos de lembranças. Procurar fotos e escrever tbm nos ajudam a processar essas informações. O tempo voa, seu filho ta lindo e é uma graça de criança, portanto parabéns aos papais tbm pela educação!
    Vou sentir saudades de vcs!!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns, Nick! Saúde e vida longa pra ti!

    Gra, nunca mais repita isso: "falhei como mãe" porque não conseguiu completar um ciclo de aleitamento materno. Tu não és vaca leiteira, és mulher, mãe, educadora, ou seja, muito mais que um peito. Se fosse pensar pela tua lógica, mães doentes ou adotivas também seriam falhas. Nunquinha!

    Eu gosto de te ver cada dia mais alegre, mais vibrante. É nítido aqui no blog. Ser'a por causa do verão daí, que tu ficas mais ensolarada?

    Beijoooooo

    ResponderExcluir
  8. Gra, que post lindo!
    E o seu bebe ja eh um mocinho. hihihi
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Gra,
    Visitar o seu blog é sempre uma alegria e muita emoção.
    Lindo o seu depoimento para o Nicolas.
    A gente fica muito feliz em ver os nossos filhos felizes, né?
    Aliás, a gente passa a viver para fazê-los felizes.
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Muito obrigada por todos os comentarios.

    Fiquei imensamente feliz porque escrevi, como sempre escrevo para deixar um registro. Isso foi na sexta a noite, desliguei o computador e fui dormir. No sabado quando acordei vi varios comentarios lindos.
    Que alegria! Muito obrigada de coracao.

    Abracos
    Gra

    ResponderExcluir
  11. Adorei o post!

    E sou mais uma para dizer que nao conseguir amamentar exclusivamente esta longe de ser "falhar como mae", ne?

    Eh um percalço, uma "falhinha" no máximo. Se você tentou e nao conseguiu, por alguma razao, paciência. A gente ainda vai falhar muito no processo de criar esses meninos, e é importante nao se culpar demais quando alguma coisa nao dá certo. A questão é aprender com o que deu errado e tentar deixar a culpa pra lá.

    E parabens pro Nicolas (e pros pais)!

    ResponderExcluir
Related Posts with Thumbnails