domingo, 12 de julho de 2015

Férias

Todo ano era igual e quando chegava julho já sabíamos para onde iríamos.

Lembro das férias de julho ser o mês inteiro. Minha avó já tinha tudo esquematizado com meu avô e lá íamos nós pegar a estrada. Não tinha muita novidade: a princípio eramos três no banco de trás depois viramos quatro; felizes íamos sem se preocupar muito com cinto de segurança ou limites de velocidade.

Saíamos sempre cedinho, sempre estava frio e vestíamos várias blusas. Na maioria das vezes eu dormia (como sempre acontecia quando eu entrava em um carro) e só acordava quando meu vô parava no meio do caminho, em algum posto, para ir ao banheiro. Minha vó aproveitava e nos levava também. Em seguida já era a hora de comer algo - estando ou não com fome- e era sempre a mesma coisa: pão com manteiga, que ela preparava no dia anterior e a garrafa térmica com café com leite, essa preparada pela manhã antes de sairmos. A garrafa térmica era muito boa pois mantinha a bebida ainda quente mesmo depois de três horas de viagem.

Após essa parada ainda tinha muito chão pela frente e em geral chegávamos no sítio quase na hora do almoço. Lá, como era perto do Rio de Janeiro, era quente. Não existia inverno como em São Paulo e por isso era tão gostoso passar as férias de julho naquele lugar. Diferente de janeiro que era um calor infernal.

Brincar sem hora para parar, comer fruta do pé, brincar com as galinhas (que eu nunca gostei e me pelo de medo até hoje) ou com os porcos, comer cana e ajudar meu vô espremer para tomar na hora, fresquinha era tão gostoso. 

Essas são as poucas recordações que tenho das minhas férias escolares. 

Parece que agora tudo mudou:
* menos tempo de férias (escolas municipais de Curitiba só tem duas semanas de férias);
* não temos família perto;
* não temos para onde ir;
* financeiramente é quase impossível ir passear para qualquer lugar :( ;
* não temos carro (não que isso seja um problema);
* o clima já não é mais o mesmo, nem sei se tem algum lugar para escapar do frio da cidade;
* entre tantas outras coisas...

Essa será a segunda semana de férias do Nicolas e parece que passou voando. Não fomos para nenhum lugar mais longe por todos os motivos acima mas aproveitamos para passear pela cidade, encontrar amigos e ficar sem fazer nada. Leia: brincando muito, vendo tv e sem pressa nenhuma.

Tem chovido muito e fez bastante frio alguns dias.  Não tenho medo de sair com o clima assim mas confesso que aqui desanima mais do que em Londres. Não sei porque.

O que tem sido muito legal é ouvir a noite do meu pequeno: "mãe dá tempo de ler né?" Sim filho, claro que dá, sempre vai dar. E lá vamos nós para a cama cada um com seu livro aproveitar mais um dia de frio e de férias.

***
Sempre que posso conto para o Nicolas algumas coisas da minha história, da minha infância e do que já vivi. As vezes ele ouve atento outras parece que nem ouviu mas ouviu porque depois em outros momentos comenta sobre. Engraçado ver essas situações como se eu fosse uma pessoa bem vivida; o que eu não sou. Estou apenas tentando aumentar nossa  poupança de boa memórias.

Um comentário:

  1. Não fazer nada nas férias, eu acho delicioso!
    Inventar ou não, curtir a sala, o quarto, recordações o quarteirão. Aqui as férias são assim também. Além do lado financeiro, enfrentar o "tudo cheio" de restaurantes, estradas, aeroportos... A gente inventa e vai dando tudo certo!
    Beijo!

    ResponderExcluir
Related Posts with Thumbnails