domingo, 28 de outubro de 2007

13.10.2007 (ParteII)



....



18h - entramos em trabalho de parto. A midwife preparou um banquinho no chao, pediu que eu sentasse nele e o Paulo sentou atras de mim, na cama e ficou massageando minhas costas, cada vez que vinha uma contracao era um empurrao.





19h - acabou o turno da midwife e ela iria embora ???!!! gracas a Deus essa midwife (que ja nao lembro mais o nome dela), alem de experiente era bem "boss", bem mandona e ai, nao me pergunte o por que, pois nao sei e nao tenho nem ideia do que passou na cabeca dela, ela comecou a chamar a midwife da manha para vim ver como eu estava bem e que o bebe estava vindo, depois chamou o medico, que me examinou de manha. Todos chegavam e diziam "Well done", "muito bem", parabens vc esta fazendo muito bem. E a mid se gabando que estava tudo muito bem, a mae calma, o pai calmo, o bebe calmo e a midwife sem estresse (e eu nao aguentava mais de dor).



Como ela iria embora, veio outra midwife para nos acompanhar, mas gracas a Deus (novamente) o medico teve um pouco de bom senso e ficou conosco ate o final. A mid que iria comecar a 19h nao sabia nada do que estava acontecendo comigo e nos no meio do trabalho de parto, nao daria muito tempo para explicar, entao o medico estava la.



20h20' (+/-) o medico chamou uma outra midwife para acompanhar, e eu ja nao aguentava mais, estava exausta, pedia ajuda, o Paulo do meu lado o tempo todo, nao sei o que seria de mim sem ele. Ele me dava agua, mesmo se eu nao estivesse com sede, a mid mandava, "da agua para ela, ela estava fazendo um trabalho duro". Depois de um tempo, ele viu como eu estava suada e cansada, comecou a passar agua no meu rosto com um paninho, as vezes me dava um beijo na testa, um super companheiro.



Nesse momento o medico dicidiu fazer a episotomia, passou-me um anestesico, e eu nao senti nada, mas ouvi o barulho da tesoura cortando ("tique", que agonia, mas na hora nao pensava).



Entao o medico me ajudou, quando veio uma contracao, eu empurrei e ele com a mao ajudou a sair a cabeca.



20h30' - nesse momento o Nicolas (que e' grandao), enroscou e ficou com os ombros presos. Nao tinhamos muito tempo, eu so soube disso depois, ate entao eu estava sentada, entao deitaram a cama, e a midwife pediu que o Paulo apertasse ou puxasse um botao vermelho, num painel atras da cama. Nisso toca um alarme, como de incendio, a porta abre e entra umas 10 pessoas (pelo menos)... sinto duas pessoas empurrando minhas pernas (nunca pensei que tivesse tanta flexibilidade nas pernas), outras duas empurrando minhas barriga, outra veio e me deu a mao, dizendo que ia dar tudo certo... tinha mais gente ao lado do medico e eu so via o branco do teto, quando de repente....



20h33' - o Nicolas nasceu, numa das minhas ultimas contracoes e com a ajuda dessa galera que apareceu. Senti so o sair dele, como um "plub..." e depois um liquidao escorreu, quente. As contracoes continuaram, mas ja nao eram doloridas, me aplicaram uma injecao na mesma hora na coxa, doloridinha viu, porem eu ja nao me importava estava preocupada com o bebe. O Paulo conseguia ve-lo, eu nao, entao eu pedia para ele ir com o bebe e ele dizia "eu estou vendo-o, nao se preocupe". Segundos depois ouvi um chorinho lindo, comecei a chorar tambem e em seguida o troxeram para mim, colocaram -o no meu peito, nos ficamos la um tempinho. Levaram-o, limparam-o e la estava eu la de novo com meu filho, deitado no meu peito e agora procurando meu seio para mamar, que sensacao boa.



20h38 - a placenta saiu, uma medica ja estava la esperando, e comecou a cuidar de mim.



Foi tudo muito rapido no final (mas parecia coisa de filme, documentario, nao sei), eu cansadassa, com uma dor nas pernas, das 2h30 ali aberta, no final me deu uma caimbra nas 2 batatas das pernas, so eu mereco essas coisas mesmo. Mas passou, e' incrivel como esquecemos a dor do antes, quando depois temos nosso bebe no colo.



22h - tomei banho, fomos para a enfermaria e o Paulo foi embora.



Nao consegui dormir, cochilei, mas nao dormi, nao parava de olhar para o Nicolas. Por conta desse estresse do final a respiracao dele estava sendo pela boca, eu fiquei com muito medo que ele se engasgasse, entao ficava olhando para ele o tempo todo. Como ele enroscou na hora de sair, na hora de examina-lo perceberam que ele estava com os bracos um pouco "bobos", sem muita forca, talvez por eu ter tido febre, ele nasceu com a temperatura um pouco alta, nao era febre mas um pouco mais alta do que a esperada para recem-nascidos, por conta de tudo isso ele teria que ficar em observacao 24h. Ficou ao meu lado o tempo todo, mas a cada 2h vinha uma pediatra ou uma midwife examina-lo.



Bom esses posts ficaram gigantes, mas queria deixar registrado aqui, minha alegria e felicidade ao ver meu filho, apesar de toda essa aventura....!!!



Nicolas nasceu dia 13.10.2007 as 20h33 (horario de Londres), pesando 3,980kg, medindo 60cm e recebeu apgar 8 no primeiro minuto e 10 no quinto minuto.



Estamos nos adaptando, mas posso dizer que sou a mulher mais feliz do mundo, ele e' lindo, maravilhoso e com a ajuda do Paulo nao poderia ser melhor. Nao sei o que seria de mim sem ele, quer dizer, agora sem eles, meus homens.



Nossa familia esta completa, a obra de arte da minha vida esta se completando com muitas cores, sabores e amores. Amo muito esse menino.



Obrigada a todos pelas mensagens carinhosas (obrigada especial a Samantha, Gisele e Eliana) e muitissimo obrigada pelas oracoes, com certeza elas nos ajudaram muito. Quando estava la empurrando, que ja nao aguentava mais, meu rosto adormeceu, formigava de tanta forca que eu fazia, assim como minhas pernas, naquele momento eu pensava, Deus esta aqui conosco, seus anjos estao aqui nos acompanhando vai dar tudo certo e deu. Obrigada Senhor, eu confio em Vos.






Beijinhos nosso



Gra



4 comentários:

  1. Ai, Grazi, que maravilha, até chorei ao ler o seu relato!
    Mas que menininho mais fofo meu Deus! Muitas felicidades pra vocês querida, parabéns!
    Olha, eu tive dois partos normais, mas nao chegaram nem perto do que se passou com você, o Vi nasceu 5 horas depois que cheguei ao hospital e a Sofia 4, segundo a Hebamme (midwife daqui), ela nunca tinha visto um parto tao rápido naquele hospital, nao me puseram nem soro, nao tive uma picada, nada e nao me cortaram também! Porisso nao posso nem imaginar como deve ter sido estressante pra você! Mas como vc disse, depois a gente esquece o sofrimento e só o que importa é curtir nossos amores.
    Um beijao linda e se precisar de alguma dica, já sou beeeem experiente! Muita saúde pra essa fofura!
    Gi

    ResponderExcluir
  2. Oi, Grazi. Estou super feliz por vocês. E olha só que maravilha contar com um maridão assim, do seu lado todo esse tempo, dando a maior força! Estou boba com o tamanho do bebê. É enorme e chegou trazendo consigo um amor tão grande quanto ele. Que vocês sejam sempre muito felizes. Beijinhos carinhosos. Eliana.

    ResponderExcluir
  3. Grazi, eu tinha lido seu post há muitos dias, mas foram tempos ocupadissimos e cheios de novidades aqui em casa.
    Fiquei muito feliz por saber do parto, apesar de tudo que você relatou. Não tive partos normais, nas duas vezes a cesárea foi necessária, e sei que no final o que conta é estarmos com nossos filhos nos braços.
    Ele é imenso... os meus, mesmo a termo, foram pecorruchos e só cresceram e engordaram depois!
    Beijos e tudo de bom! Passarei mais vezes para ver se tem novidade. :)

    ResponderExcluir
  4. Ei Gra! Que lindo seu relato! Me identifiquei com várias partes... E vc tambem passou pela troca de turnos de midwife, hein? Nao gostei nao, da proxima vez vou querer uma pra me acompanhar desde a gravidez ate o parto... Nossa, e fiquei super assustada com a hora que seu Nicolas se enroscou e chegou aquela galera no seu quarto! Imagino seu susto! mas que bom que deu tudo certo e seu bebe nasceu sadio!

    E vc ainda mora em Londres?

    Beijos,

    Lu do Nicolas

    ResponderExcluir
Related Posts with Thumbnails